Produtos Hada Labo e como incorporar a skincare asiática na rotina brasileira

Eu já mostrei os dois produtos da Hada Labo que comprei no meu Instagram. Estou sempre por lá mostrando na minha rotina de cuidados com a pele. Esses produtos vêm do Japão, um país extremamente conhecido por seus produtos de cuidado com a pele. Outro país que também está no hype da skincare é a Coreia do Sul, com a popular k-beauty. A dica de hoje é j-beauty, mas ambos os países possuem tendências de beleza muito similares.

A Hada Labo é uma marca japonesa que começou a vender oficialmente no Brasil há pouco tempo. Porém, antes disso muitas pessoas já tinham acesso a esses produtos por meio de lojinhas no Instagram. Eu não costumo comprar produtos assim, então só fui conhecer agora mesmo.

Cleansing Oil e Loção Gokujyun Hada Labo

Cleansing Oil e Loção Gokujyun Hada Labo

Cleansing Oil Gokujyun Hada Labo

Eu nunca tinha usado cleansing oil antes, mas eu estou completamente apaixonada por esse produto. O cleansing oil remove a maquiagem completamente sem agredir a pele, sem gastar algodão, e ainda removendo impurezas da pele que causam cravos. É o produto perfeito, tanto para quem gosta de maquiagem, quanto para quem só quer limpar a pele. Apesar de ser um óleo, em contato com a água, ele se torna uma espécie de sabão que sai completamente sem deixar vestígios. Por isso, é muito importante usar o cleansing oil com as mãos e o rosto secos. Massageie o rosto com calma e com cuidado, pois é muito importante gastar um tempinho massageando tudo para limpar os poros.

Loção Gokujyun Hada Labo

A Loção Gokujyun é um produto chamado de loção no Japão e essência na Coreia. Essa etapa vem antes do hidratante, podendo ser uma pré-hidratação. Alguns tipos de loção possuem ingredientes clareadores, que controlam a oleosidade, ou com ação anti-envelhecimento. A Gokujyun é apenas uma loção super hidratante, que contém três tipos de ácido hialurônico. O ácido hialurônico, como sabemos, é produzido pelo nosso organismo mas essa produção decai a partir dos 25 anos. Por isso, é importante repor esse ativo, que ainda traz bastante maciez e preenchimento das linhas finas da pele. Você pode encontrar aqui.

Rotina simples adaptada com o Cleansing Oil e a Loção Hada Labo

Rotina simples adaptada com o Cleansing Oil e a Loção Hada Labo

Como inserir o cleansing oil e a loção Hada Labo numa rotina simples

Muitas vezes, ficamos com medo de inserir os produtos asiáticos na nossa rotina por não poder seguir os nove passos. A verdade é que, com poucos passos, é possível usá-los e se beneficiar bastante do que eles entregam. Na foto acima, esqueci de incluir o protetor solar, então não esqueça de acrescentar o protetor solar de sua preferência para se proteger dos raios UV.

O cleansing oil e o gel de limpeza são responsáveis pela chamada dupla limpeza. Confesso que não uso o cleansing oil todos os dias, apenas quando estou com maquiagem, para economizar rs. Você pode usá-lo três vezes por semana, por exemplo. O gel de limpeza escolhido foi o Cleanance da Avène, que remove a oleosidade mas é extremamente leve e calmante para a pele. A loção Gokujyun potencializa o hidratante Neutrogena Hydro Boost, que também contém ácido hialurônico e é extremamente leve. Para peles secas, eu trocaria o hidratante por outra opção mais potente.

Espero que vocês gostem do post e até mais!

Máscara facial funciona mesmo? Receitinha caseira, argila ou sheet mask?

Oi, tudo bem com você? Antes de começar, se você não me segue no Instagram (@carolinahaine), sinta-se mais que convidado a se juntar à turma. Eu tô sempre interagindo com todo mundo e fazendo um conteúdo bem orgânico, bem vida real, com o feedback que vocês me dão!

Hoje eu vou falar sobre um assunto muito legal e muito hypado no mundo da internet: máscara facial. É inegável que a máscara facial seja o ápice dos rituais millennials de autocuidado, ou seja, garoutas cansadas entre 23 e 33 anos estão muito mais propensas a aderir ao uso de máscaras enquanto hidratam o cabelo e bebem um vinhozinho. Quem não ama?

É claro que existem inúmeros memes na internet a respeito do assunto, sobre como muitas vezes as pessoas têm vícios e hábitos nada saudáveis e acham que alguns minutos com argila na cara purificarão todos os erros cometidos no passado. Sim, isso é verdade. Mas talvez apenas o fato de a pessoa dedicar alguns minutos para si mesma já seja terapêutico.

Receitas caseiras funcionam?

Para responder essa pergunta, primeiro precisamos entender que tipo de receita caseira está em questão.

Existem inúmeras receitas caseiras divulgadas na internet e eu não posso falar sobre cada uma. Também não sou dermatologista nem esteticista para falar com propriedade sobre o assunto. Por isso, vou indicar o perfil de uma amiga, a @maquiaefalamuito, que é esteticista e cosmetóloga. Ela tem alguns vídeos muito interessantes no IGTV em que ela fala sobre o perigo de receitas caseiras e de seguir tudo o que há na internet.

As receitas mais comuns são as esfoliações caseiras utilizando açúcar ou café. Faz muitos e muitos anos que eu não uso um esfoliante caseiro, mas já adianto que os grânulos de açúcar mascavo, borra de café e afins não são adequados para a esfoliação do rosto por serem muito abrasivos. Ao mesmo tempo, a discussão sobre esfoliantes industrializados é importante, pois muitos possuem micro esferas de plástico que poluem os mares e intoxicam os peixes. Felizmente, marcas como Natura, O Boticário e The Body Shop já comercializam esfoliantes biodegradáveis e/ou orgânicos.

O outro tipo de receita caseira comumente difundida é a máscara facial feita com alimentos, como aveia, abacate ou mel. Embora estes alimentos possuam propriedades benéficas ao organismo, as moléculas dessas vitaminas e minerais não são absorvidas pelo corpo dessa forma. É como a Vitamina C, que é vendida nanoencapsulada para uso cosmético. Se você esfregar uma laranja no rosto, não vai absorver a Vitamina C e muito provavelmente causará lesões à pele, principalmente se tiver exposição ao sol. Talvez o abacate e o mel em contato com a pele forneçam hidratação e uma sensação agradável na pele, mas não é um efeito que se sustenta a longo prazo.

Como fazer máscaras de argila?

Máscaras de argila são ótimas e muito baratas. Existem muitos tipos de argila disponíveis no mercado, mas a mais certeira para todos os tipos de pele é a argila branca. A argila branca é conhecida por melhorar a aparência de manchas na pele e, assim como todas as argilas, é tonificante e controla a oleosidade. Para peles oleosas, a mais usada é a argila verde, que combinada com óleo de melaleuca vira uma verdadeira máscara secativa. Peles sensíveis se beneficiam muito da argila rosa, que acalma e regenera, podendo ser uma aliada do óleo de rosa mosqueta.

Para fazer a máscara, você pode misturar a argila de sua preferência com um pouco de água até que a consistência fique pastosa. Se quiser potencializar o efeito da máscara, pingue algumas gotas de óleo essencial na mistura. Os óleos mais comuns, além dos citados no parágrafo anterior, são o óleo de lavanda, óleo de prímula e óleo de jojoba.

O que é sheet mask?

Sheet mask, que literalmente significa máscara de folha, é uma máscara de tecido embebida em um sérum que costuma vir embalada em pacotes individuais. Esse tipo de máscara é muito popular na Coreia e no Japão, países responsáveis por popularizar a k-beauty e a j-beauty ao redor do mundo. Os séruns desse tipo de máscara costumam ser bem hidratantes, e por isso mesmo é o único tipo de máscara facial do post em que não há enxágue.

Por isso, esse tipo de fórmula é a minha preferida. Não apenas por ser mais prático, afinal, você pode colocar uma máscara no rosto e dormir, mas por ser mais eficaz. Os séruns que costumam vir nessas máscaras são focados em, além de hidratar, iluminar, reparar e regenerar a pele. Os ingredientes costumam ir do ácido hialurônico ao colágeno, então são as máscaras com maior tecnologia envolvida.

Qual devo usar?

Bom… Isso é com você, e com o seu orçamento também. Uma sheet mask costuma custar entre 10 a 20 reais a unidade. Com 30 reais, é possível comprar uma boa quantidade de argila que irá render inúmeras aplicações. O preço dos óleos essenciais varia de 30 a 60 reais, mas apenas algumas gotas são utilizadas nesse processo. As possibilidades são inúmeras, mas lembre-se sempre de consultar um dermatologista para entender melhor sobre o seu tipo de pele e o que você precisa.

Obrigada por estar aqui comigo. Sua sugestão é mais que bem vinda. Até mais!

Cosméticos baratinhos, digital influencers e ética no trabalho

Oi! Ultimamente o foco do meu blog tem sido falar sobre cosméticos, tanto maquiagem quanto skincare, então acho que esse post sobre cosméticos baratinhos vai ajudar muita gente a se situar por aqui. Se você não me segue ainda no Instagram (@carolinahaine), eu sugiro fortemente que você siga para aproveitar o conteúdo desse blog como um todo. Estou sempre por lá interagindo e pedindo sugestões a vocês.

Nenhuma blogueira é igual a outra, e não só porque pessoas têm vivências e opiniões diferentes, mas também por imensas estratégias de mercado, e dentre elas, o nicho. Embora você acompanhe milhares de blogueiras, eu tenho certeza que algumas devem vir à sua mente quando pensamos em assuntos mais específicos, como “pele negra“, “mercado de luxo“, “baratinhos da 25“, e por aí vai.

Em 2016, quando a Ruby Rose causou uma verdadeira revolução no mercado de maquiagem, as blogueiras finalmente abriram os olhos e passaram a enxergar uma população que carecia de produtos bons e com valores realmente acessíveis. Quantas vezes você já não abriu um vídeo de “baratinhos acessíveis” e a moça do vídeo mostrou uma base de 70 reais? Acessível para quem? A sensação é de que vivemos um mundo completamente paralelo a dessas pessoas. Mas não se engane, porque opinião é sim comprada, e isso é nítido quando vemos blogueira que virou famosa com vídeos de baratinhos usando apenas Benefit ou Urban Decay após os primeiros 500 mil inscritos.

As classes C e D compôem boa parte do público consumidor de beleza, e assim como as classes A e B, são ávidos por novidades e por resultados imediatos. Afinal, quem precisa pensar se compra uma base ou se paga o gás não tem tempo e muito menos dinheiro para testar várias “baratinhas” e ver no que dá. Ir ao shopping testar a sua cor? Com a vendedora e o segurança te olhando como se você fosse roubar algo? Parece uma piada. E a partir daí, vimos várias blogueiras que almejavam apenas o mercado de luxo mudando de estratégia e começando a fazer verdadeiros vídeos caricatos de “make da baciada“, “testando baratinhos“, com sacolas de 100 a 200 reais que elas praticamente usariam uma vez e jogariam no lixo. Porque dar “desapegos” de produtos usados às suas seguidoras não é caridade. É irresponsabilidade, é literalmente dar migalhas a um público que carece de recursos.

Mas então você deve estar se perguntando. Então, que tipo de atitude deve ser tomada? Quais produtos valem ou não a pena? Quais blogueiras seguir? E eu volto à questão anterior. Procure o nicho que você mais se identifica, observe se o conteúdo tem autenticidade e honestidade, ou se é só mais uma oportunista tentando conquistar por meio de jargões e gestos escandalosos. Procure alguém que tem vivência ou conhecimento acerca do assunto tratado. Uma blogueira com pele seca ao testar uma base matte e dizer que não transfere pode induzir muitos consumidores de pele oleosa ao erro. Um influencer que faça desafios de make da baciada está claramente dizendo a seu público que o produto que eles economizam o mês inteiro para comprar é praticamente descartável nas mãos dele.

Eu, Carolina Haine, estou ciente que possuo alguns privilégios, e sei que muitas das coisas que eu compartilho são inacessíveis ou muito difíceis de comprar para muitas pessoas. Mas essa é a minha realidade, eu sou uma consumidora exigente e eu pondero várias coisas antes de colocar ou não um produto no meu carrinho de compras. Eu demorei muitos anos para poder me entender como consumidora, o que funciona ou não para mim, e de que forma eu quero passar isso ao mundo. Tenho muitas coisas caras, mas porque elas costumam durar muito mais, mas também tenho muitas coisas baratas onde eu vejo que não há necessidade de gastar tanto. E aqui nesse blog, que carrega meu nome e sobrenome, o que prevalece é a minha experiência, e eu nunca vou falar mais alto que um profissional da área enquanto mera consumidora de classe média de 24 anos.

Eu já passei muitos e muitos anos comprando coisas porque estavam na promoção ou querendo ter todos os “achadinhos” do momento. Mas isso só me distraía do real foco e me fazia me perder enquanto consumidora. Nesse sentido, a finalidade dos canais de beleza e das mídias sociais pode ser bem tóxica, porque estamos sempre insatisfeitos e buscando algo diferente para comprar. E é por isso que, com toda a franqueza, eu digo que o meu objetivo aqui não é te mostrar o produto mais barato. O meu objetivo é te mostrar como ter a melhor experiência possível com uma seleção de produtos e passos enxuta. Eu acredito que um bom produto que nos permita múltiplos usos, a longo prazo, seja mais sustentável e agregue mais experiências positivas.

Se você está acompanhando o meu blog e gostaria de ver algo específico aqui, não deixe de comentar. Até mais!

Pele irritada e sensível: cuidado e reparação com Cicaplast de La Roche Posay

Hoje é dia de resenha, e vou falar para vocês a minha experiência com o Cicaplast de La Roche Posay.

Trata-se de um produto multifuncional, com alto poder hidratante e regenerativo, que hidrata e acalma peles ressecadas, sensíveis e com irritações. Como todos os produtos da marca, é enriquecido com água termal de La Roche Posay, extraída na França, que possui propriedades calmantes.

Os dois ativos principais do Cicaplast são o Pantenol 5% e o Madecassosside. O Pantenol é o ativo mais notável por seu alto poder de hidratação e por estar na fórmula do Bepantol (eu explico um pouco mais sobre o Bepantol e sua versão vegana da Needs aqui), e o Madecassosside é um ativo encontrado no extrato da planta centella asiática, responsável pela cicatrização e estímulo de colágeno na pele.

A marca indica o uso de Cicaplast em peles sensibilizadas, hidratação de áreas tatuadas, hidratação intensiva de áreas ressecadas, áreas de atrito constante e queimaduras solares leves. Eu, Carolina, já usei o produto em quase todas as situações, exceto queimaduras solares, e posso garantir que o produto promete o que cumpre e ainda se sai melhor que a encomenda.

O Cicaplast é um creme um pouco denso, mas se espalha fácil e não contém fragrância, o que é excelente para peles sensíveis e irritadas. Por seu grande poder de hidratação, é perfeito para áreas como cotovelos, joelhos e calcanhares. Já sei que muitos vão perguntar como ele se sai em comparação com o Bepantol e o Nivea Creme. Pois bem, a hidratação dos três nessas áreas é bem semelhante, a diferença é que o Cicaplast possui mais tecnologia e entrega hidratação potente sem deixar o corpo melecado. Infelizmente, ele não é um produto tão barato assim para hidratar o corpo todo (existe um outro creme da La Roche Posay com essa proposta, o Lipikar, mas nunca usei), então costumo guardá-lo para “emergências” e faço a hidratação do resto do corpo com Nivea Creme.

A minha forma favorita de usá-lo no momento é em áreas de ressecamento e irritação no rosto. A área dos olhos, por exemplo, é naturalmente mais ressecada que o resto do rosto, e por isso as marcas costumam fazer cremes para a área dos olhos bem densos. Eu achei que o Cicaplast se sai muito bem nessa tarefa, principalmente se você tiver alergias, já que é uma área bastante sensível. Também estou usando e abusando desse creme no rosto, porque o meu tratamento com Epiduo deixa o rosto ressecado e facilmente irritado. Falei um pouco mais sobre o Epiduo e os meus cuidados com a pele aqui.

O Cicaplast é vendido em dois tamanhos diferentes, o de 20ml (custa R$40) e o de 40ml (custa R$70). Os preços podem variar de acordo com promoções. A Amazon, nesse exato momento, está com uma promoção para o tamanho de 40ml, e você pode comprá-lo com o link abaixo:

Comprando nesse link, você ajuda o blog a crescer e trazer mais novidades por aqui. <3

Eu comprei primeiro a versão de 20ml, pois não sabia se ia gostar ou não do produto. Pois gostei, e gostei MUITO. Alto poder de hidratação, não tem aspecto pegajoso, acalma a coceira e a vermelhidão da pele. A única desvantagem é o preço, mas felizmente existe um tamanho menor para quem quiser testar o produto. Recomendo que todas as pessoas tenham um tubo de Cicaplast guardado em casa.

Beijos e até o próximo post!