Os objetos que destralhei e fizeram TODA A DIFERENÇA no meu quarto

Olá, tudo bem com você? Caso seja sua primeira vez no blog, meu nome é Carolina, eu tenho esse blog desde 2015 e aqui falamos sobre muitas, muitas coisas!

Eu comentei no stories do Instagram (caso você não me siga, corre lá, @carolinahaine) que fiz um mega destralhe no meu quarto. Os motivos são vários, mas o principal deles, não vou mentir, é que não quero ser uma pessoa muito cheia de coisas. Penso em viajar, me mudar de casa, e acho um pouco repudiante a ideia de manter um verdadeiro memorial na casa dos meus pais.

Por isso, listarei a vocês quais os objetos que destralhei e fizeram a maior diferença no meu quarto. Não só eu tenho muito mais espaço sobrando, mas as superfícies ficaram muito mais limpas e agradáveis ao olhar. E por isso compartilhei com vocês como fiz esse destralhe e dicas de como adaptá-lo ao seu quarto. Confira:

Cadernos e papéis

Esse era o objeto VILÃO E RESPONSÁVEL pelo caos no meu quarto. Como toda pessoa apegada em papelaria, eu gastava muito dinheiro em cadernos chiquérrimos estilo Moleskine todos os anos. Meus cadernos da faculdade eram todos impecáveis e eu tinha tantos entulhados por toda a parte. Sem contar os papéis avulsos, xerox e apostilas que acumulei ao longo desses seis últimos anos. Além disso, desde 2003, eu tenho o hábito consistente de manter um diário (hoje em dia, esse diário é muito mais um bullet journal e listas de pensamentos do que o tradicional “meu querido diário”).

Eu fiz o seguinte: tudo que era relacionado ao meu curso, desenhos, etc… Joguei fora. Isso, nem olhei o que era, joguei fora. Durante muito tempo, eu achava que eu ia revisitar esses materiais, mas a verdade é que não vou. Tenho uma porção de livros para consulta, minhas pastas no Evernote e no Dropbox repletas de anotações, não preciso dessa papelada toda. Doei as apostilas para o centro acadêmico da universidade. Os diários eu guardei, pois de vez em quando gosto de relê-los e me rendem boas risadas. (:

Sapatos

Eu mantinha no meu armário uma porção de sapatos inadequados para mim. Sandálias que arrebentaram, sapato com a sola se desfazendo, chinelos tão velhos que a gravura já tinha sumido… Além de sapatos que eu usei uma vez na vida em 2011 e depois disso nunca mais. Obviamente, o que estava em bom estado foi para doação. O que não estava em bom estado foi para o lixo. Nessa brincadeira, eu esvaziei quase que pela metade a minha sapateira, mantendo comigo 25 pares de sapatos. Estava orgulhosa de mim e achei que era um número bem baixo, mas muitas pessoas me falaram que é muito!! Fiquei curiosa, quantos pares de sapato você possui? Por favor comenta aqui embaixo!

Roupas

O meu maior problema com roupas era uma categoria imensa e complicada: ROUPAS QUE EU GANHEI DE ALGUÉM MAS NÃO GOSTO E NUNCA USAVA MAS GUARDAVA POR CONSIDERAÇÃO A QUEM ME DEU. Tive que me desapegar bastante dessa mentalidade para conseguir separar essas roupas para doação. Simples: a vida é muito curta para ocuparmos espaço (e tempo, e dinheiro…) com coisas que não nos dão satisfação e saúde mental. Olhar para aquela pilha de roupas que eu não gostava e sabia que nunca iria usar me entristecia muito. E agora essas roupas serão muito bem aproveitadas por pessoas que realmente precisam e vão usar.

Além disso, eu tinha uma gaveta INTEIRA na minha cômoda de roupas que eu não gostava. Um absurdo, né? Sempre pensava “essa roupa que eu não gosto vou usar em casa”. Mas eu nunca usava em casa. A verdade é que minhas roupas de “ficar em casa” são meus pijamas mesmo. E tá bom assim. Não vejo sentido em guardar um monte de roupa que acho feia. Até meus pijamas são cuidadosamente escolhidos por mim. (;

Maquiagem

Eu tenho muita maquiagem. Embora eu não costume sair maquiada, é um hobby para mim colecionar e testar produtos. Gosto principalmente de testar base, como toda cidadã brasileira, mas acumulei tantas ao longo do tempo que eu precisaria de uns dez rostos para usar em tempo hábil. Além disso, algumas eu nunca gostava de usar pois não estavam no tom certo para a minha pele. Chamei algumas amigas (é importante que sejam pessoas conhecidas, pois mesmo que eu tivesse usado poucas vezes o produto, é meio estranho dar um produto usado pra quem você não conhece), expliquei a situação de cada produto e elas toparam receber a doação.

Coisas sem categoria que estavam apenas ocupando espaço

Meu quarto era repleto de bibelôs daqueles que alguma tia deve ter me dado de presente em 2005 e ficava ali pegando poeira. Tiaras de cabelo que eu usei duas vezes na vida mas ainda estavam lá. Celulares velhos, CDs e DVDs que eu nunca mais vou ver e não tenho apego emocional nenhum, canetas que já não escreviam mais, etc etc. Era tanta tranqueira que eu não tinha nem noção. A maioria dessas coisas acabei jogando fora mesmo, pois muitas estavam até quebradas.

E talvez você agora esteja se perguntando. Legal, fiz o destralhe. Mas e agora, COMO organizar? Bom… Esse será o assunto do próximo post! Então fiquem ligados e não percam.

Compartilhando com vocês meu planejamento

Olá, internet. Cá estou eu mais uma vez. E o post de hoje é muito simples, porém importante para mim: irei compartilhar com vocês o meu planejamento para fazer essa máquina toda girar. E vou conversar com vocês todos de uma maneira bem franca sobre como e porquê decidi fazer blog e canal a essa altura do campeonato.

Novinha, eu?

Por incrível que pareça, esse não é o meu primeiro, nem segundo, nem terceiro, nem quarto, nem quinto (sério!!!) blog. Eu já tive muitos, muitos mesmo, mas acho que foi em meados de 2012 que decidi parar de tentar criar nomes para eles. Sério. Sou péssima nisso. E desde então nasceu o Carolina Haine, que na época era hospedado num simples e humilde servidor gratuito do WordPress.com. O conteúdo dele? Resenhas e descobertas acadêmicas. E resenhas de chá. Ao revisitar esse conteúdo, achei tão legal que resolvi migrá-lo para cá, então acessando o arquivo, você pode conhecer como era a minha vida na época.

Foco pra quê se eu posso falar de tudo?

A louca, né. kkkkk Eu já tive blog de diário virtual, de anime, de esmaltes, de pixel art, de textos acadêmicos… Quando fiz esse aqui, resolvi chutar o balde e falar sobre um pouco de tudo. Isso é completamente ao contrário do que os especialistas em blog recomendam, mas eu tô nem aí, me sinto bem feliz assim. Atualmente, o meu foco não é falar sobre temas específicos, e sim tentar aprender conceitos básicos do design diariamente. Basicamente, o blog é minha escolinha pessoal de aprimoramento nas minhas habilidades. 🙂

Ah, importante falar que isso NÃO SE APLICA ao YouTube. Eu tenho uma câmera extremamente simples, mal sei editar um vídeo e meus vídeos não são lá essas coisas, mas nele a minha lógica é justamente ao contrário: estou tentando aprender a falar de temas comuns, porém diferenciados. Basicamente, ser aquela blogueirinha que te dá dicas de amiga sobre como ter uma pele incrível, mas que também não terá papas na língua ao falar de assuntos considerados polêmicos.

Eu, Carolina, sinto muita falta de blogueiras assim, porque a maioria está apenas empenhada em falar do batom da moda, mas sem o menor interesse em conscientizar seus seguidores da atual situação política. Aos que também pensam assim, é nóis. :p

Como dividir o conteúdo entre blog e canal?

O meu canal de comunicação com vocês tem sido majoritariamente o meu Instagram (@carolinahaine, segue lá!). Pelos stories, eu tenho perguntado a vocês o que vocês querem que eu mostre no canal e no blog. Na real, eu pergunto apenas sobre os conteúdos e acabo fazendo uma curadoria pessoal. Temas que trazem mais explicações longas, como o post que fiz sobre mercado editorial, vêm pro blog. Temas mais simples e fáceis de abordar em listas vão para o Youtube. Mas nada impede que eu não fale disso por aqui também! Exemplo disso é o meu post de como cuidar dos cabelos cacheados e descoloridos usando a técnica low poo.

Que dias eu pretendo me dedicar ao blog ou ao canal? Quando sai vídeo e post novo?

Essa questão eu admito que tenho pecado bastante. Mas como ainda estou no começo, a esperança é a última que morre. Como atualmente eu esteja trabalhando apenas como freelancer, isso me permite ter horário super flexíveis para criar. E ainda assim eu falho e me atraso na entrega dos vídeos. Fazer o quê. kkk

O que eu defini para mim mesma é: toda sexta sai vídeo novo no Youtube. Sexta às 12h, que foi o horário que estipulei. Esse vídeo de sexta é o que não posso faltar com a entrega. MAS, contudo, entretanto, todavia… Sempre que eu puder, eu vou liberar outro vídeo na quarta-feira. Ficando então com dois vídeos semanais.

Quanto ao blog, esses vídeos geram links que podem se tornar aqueles posts “vazios” de divulgação. Não os considero efetivamente como posts na minha frequência criativa, mas tenho tentado fazer ao menos um post semanal completíssimo, com direito a fotos e pesquisas detalhadas. Sendo assim, a frequência semanal de posts seria de 3 ou 4.

Você também tem um blog?

Socorro, às vezes eu acho que estou afundada nesse barco sozinha e todas as pessoas do mundo pararam de ler e se importar com blogs. Então, caso você tenha o seu e também esteja tentando conseguir forças para atualizá-lo, deixe o link nos comentários e eu terei o maior prazer em visitar. <3

Abraços,

Carol

Top 5 Apps – Windows Phone & Android

Com as férias rolando, as pessoas acabam gastando cada vez tempo em seus smartphones e tablets. Eu, como toda boa procrastinadora, não deixo de ser vítima desse mal. Como eu sou usária de Windows Phone e Android, acabo tendo mais opções do que quem usa apenas um sistema. Resolvi então fazer uma seleção dos meus apps preferidos e compartilhar com vocês.

Yoga – Android

Uma das minhas metas do ano passado era começar a fazer ioga. Como eu moro muito distante da civilização e tenho uma agenda bem corrida, fazer aula em algum lugar estava um pouco fora de cogitação. Foi aí que eu encontrei o Track Yoga. Com a ajuda desse app lindo e maravilhoso, eu comecei a praticar ioga e hoje não consigo viver sem ele. Ele disponibiliza programas espefícicos para iniciantes, trabalhar a flexibilidades, para fortalecer os músculos, etc e também tem práticas independentes como para fazer antes de dormir ou assim que acorda. As práticas são apresentadas em vídeos narrados mas têm na descrição as poses que você vai fazer. O que mais me chamou a atenção é que apesar de vários programas e práticas serem bloqueados, você não precisava pagar para desbloquear. A cada 10 minutos de prática, você ganha pontos que você pode usar para desbloquear o conteúdo.

Stop, Breath & Think – Android

Esse app foi recomendado pela Joyce (uma amiga linda ♥) e eu AMO. Quem tem rotina corrida com certeza sabe como é fácil perder a cabeça por conta de stress. Esse app nada mais é do que uma maneira de você parar, respirar e pensar, haha. Você tem várias opções de meditações guiadas que auxiliam na concentração, foco e tranquilidade no seu dia-a-dia. Tem várias meditações gratuitas e algumas que podem adquiridas por preços muito acessíveis. Um highlight para mim é o fato de várias meditações serem curtinhas, o que facilita a aplicação delas na rotina de qualquer pessoa.

Neko Atsume – Android

Para quem não sabe, eu sou uma super crazy cat lady. Eu só tenho um gato mas no meu coração é como se tivesse mil. Amo gatos, amo tudo sobre gatos, coisas com estampas de gatos, etc. Esse app nada mais é do que um colecionador de gatos. Você decora o seu jardim coisas divertidas para os gatinhos e coloca comida para eles. Aí é só esperar e vão ter vários brincando no seu jardim. Eles ainda levam recompensas para você poder comprar mais coisas fofas para colocar no seu jardim. Maravilhoso ♥

QuizUp – Windows Phone & Android

Quem não ama um bom jogo de trivias? Desde clássicos como o jogo Perfil, eu sou apaixonada por responder perguntas sobre coisas aleatórias e descobrir coisas sobre coisas aleatórias. O QuizUp tem quizes (dur) sobre inúmeros temas: desde a série Friends até Países da Europa. Você pode desafiar seus amigos ou desafiar pessoas aleatórias do mundo todo. A medida que você vai terminando os quizes você vai subindo de nível naquele assunto e pode até conseguir títulos como recompensa. Impossível não viciar.

Pin.it – Windows Phone

O Pin.it é um app do Pinterest não oficial. Eu AMO o Pinterest e não sei viver sem ele. Então, esse app é essencial na minha vida. Como o meu tablet tem o app oficial e o meu celular não, eu tive a chance de comparar os dois e devo confessar que, sem contar os ads irritantes, o Pin.it é tão legal quando o app oficial e não deixa a desejar. App essencial nos meus momentos de tédio.

Vale mencionar que os apps mencionados aqui são todos em inglês mas o QuizUp e o Track Yoga podem ser usados até por quem não manja muito do idioma. No QuizUp, existem várias categorias em português e como o Track Yoga é bem visual, você pode simplesmente colocar o áudio no mudo e seguir o vídeo.
Quais apps não podem faltar no dia de vocês? Alguém usa algum desses apps mencionados? 🙂

Listography: a maneira viciante de se organizar

Se você nunca ouviu falar do logo acima, esse post é para você.

O Listography é um site bem simples, mas que nos permite organizar a vida e compartilhar um pouco do que pensamos por meio de listas. O site é em inglês, e por isso eu, a Anita e o Cris criamos e atualizamos nossas listas em inglês. Existem vários temas possíveis para as suas listas: viagens, tarefas, desejos, hobbies, coisas sobre você, entre outros. Existe um aplicativo iOS que custa $ 1,99 (ai, meu bolso!), mas como o site é muito amor, comprei e não me arrependi (mas o dólar não estava um absurdo na época). Ainda não existe nenhum aplicativo oficial para Android ou Windows Phone.

Além do site, o Listography também é uma linha de livros interativos com diversos temas: música, viagens, literatura, vida amorosa, filmes, amigos, e até uma versão para crianças do livro original. Você pode conferir todas os livros publicados até agora aqui.

A Editora Intrínseca lançou aqui, no Brasil, a versão em português do primeiro livro com o título de Listografia: sua vida em listas. É possível comprar, tanto a edição em português quanto as edições em inglês, na Livraria Cultura. Os livros são repletos de ilustrações bonitinhas que servem de inspiração na hora de preencher as listas.


Quem não adoraria sair com o Ursinho Pooh?
 

Esse negócio de criar listas e ler as dos seus amigos é tão viciante que acaba se tornando uma espécie de hobby ou rede social. Se você se convenceu a criar um perfil no Listography (e eu garanto que sim), mande seu perfil porque eu adoro ver o que os outros pensam! haha

Beijos!