Processed with VSCO with hb1 preset

Meus dois investimentos do ano: Instax Mini 8 e Kindle Paperwhite

Para quem me segue no Instagram (se você não segue, faça esse favor a si mesmo), não é novidade que eu fiz duas compras muito legais. Nenhuma das duas é novidade, ambos são aparelhos que circulam há bastante tempo no mercado, mas só agora tive a$ oportunidade$ de adquirí-los. Estou falando da Instax Mini 8 e do Kindle Paperwhite!

Instax Mini 8

A Instax é uma câmera instantânea da Fujifilm, concorrente direta da Polaroid. Em tempos de social media, Instagrams perfeitamente simétricos e cuidadosamente pensados e fotos que duram apenas enquanto dão curtidas, uma câmera analógica fazer tanto sucesso chega a ser espantoso. De fato, ela não é nem nunca será a primeira escolha de quem pensa em técnicas elaboradas de fotografia profissional ou selfies para postar no Facebook. A proposta é guardar consigo lembranças marcantes (por isso as fotos são tão portáteis que cabem na carteira). O que desanima, infelizmente, é o preço dos filmes: um pacotinho com 10 poses custa cerca de 40 a 50 reais.

Uma coisa legal é que, dependendo do filme, a bordinha das fotos também muda: olha só a diferença do pacote tradicional para o pacote arco-íris!

Eu adquiri a minha no site do Submarino, que costuma ter promoções boas e frete grátis.

Kindle Paperwhite

Depois de tantas fotos fofas falando sobre a minha Instax, o Kindle pode até ficar ofuscadinho nesse post, mas a verdade é que ele foi uma das melhores coisas que me aconteceu. Na minha opinião, um e-reader é um dos melhores investimentos que você pode fazer a si mesmo. Muita gente pode até discordar e tentar argumentar que livros em papel são melhores, mas já foi comprovado que o leitor digital não substituiu e nem substituirá os livros físicos. Aliás, nem é esse o propósito dele.

Eu costumo usar muito o meu Kindle para ler livros que eu não pretendo guardar numa biblioteca física. Infelizmente, o nosso espaço está cada vez mais limitado, e é muito importante repensar o nosso consumo de tudo, inclusive de livros. Pode parecer muito glamouroso e incrível uma estante abarrotada de volumes, mas além de gastar papel desnecessariamente, isso pode tomar o espaço que seria destinado a obras que você pretende consultar e levar consigo para a vida inteira.

A minha capinha do Kindle na verdade não é do Kindle! Eu comprei na loja física da Saraiva.

Lembrando que o foco do post não é convencer vocês a comprá-los (na verdade, acho que os próprios itens se garantem nesse quesito), nem mostrar especificações técnicas. Muita gente já fez esse tipo de post, mas se a demanda popular pedir, eu posso fazê-los também. 😉

Abraços!

masterpiece0

Cinco livros na minha coleção que são verdadeiras obras de arte

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês?

Acho que, para quem me conhece, não é novidade o fato de que eu amo colecionar livros. Pretendo, um dia, ter uma linda biblioteca em casa. Aliás, eu já considero um pedacinho do meu quarto como uma biblioteca. Mas isso não significa que eles estejam para empréstimo, ok?

Hoje eu selecionei cinco livros da minha coleção que se destacam por capa, diagramação e conteúdo belíssimos. Os assuntos também são variados: literatura clássica, literatura contemporânea, culinária, maquiagem e design. Não selecionei por ordem, até porque isso seria impossível. É um mais lindo que o outro!

Apple Design (Vários Autores)

Livro lindo e maravilhoso para qualquer fã de design de produto, especialmente os fãs da Apple. O livro contém alguns textos de apoio que contam um pouco da trajetória da marca e do trabalho primoroso de Jony Ive, designer industrial que consagrou os produtos. No entanto, atualmente ele está desatualizado (o último produto que consta no livro é o iPhone 4S, para você ter noção) e está custando R$ 132,45 na Livraria Cultura. Ainda bem que, quando comprei, o dólar estava valendo bem menos.

Dia de Beauté (Victoria Ceridono)


Uma das minhas últimas aquisições. O livro é um guia de maquiagem bem simples e fácil de ser seguido. Eu sei que muita gente pode pensar que um livro de maquiagem não seja tão útil quanto tutoriais do Youtube, por estes serem mais fáceis de acompanhar, mas acredite em mim quando eu digo que este livro é maravilhoso. Porque ele é. Dá vontade de, todos os dias, dar uma olhadinha nas fotos e sorrir porque é um lindo dia. Sem contar que eu amo o estilo das maquiagens da Vic, acho ela uma rainha da classe e elegância.

Por Uma Vida Mais Doce (Danielle Noce)


Tenho os três livros lançados pela Dani Noce, mas esse é disparado o mais bonito deles. Uma pena que eu não estava com ele em mãos no dia que nos vimos pessoalmente (ela e o Paulo são lindos e muito queridos! Queria muito ser melhor amiga deles). Para mim, o diferencial desse livro é a seção inteiramente dedicada a dúvidas de iniciantes no mundo da confeitaria. Gosto muito do jeito leve e divertido que a Dani encontrou de explicar coisas tão complicadas e facilitar a nossa vida. :)

A Menina Submersa (Caitlin R. Kiernan)


O livro conta a história de India Morgan Phelps, cujo apelido é Imp, uma pintora e aspirante a escritora. Imp tenta narrar, ao longo das páginas, uma “história de fantasmas”. Há momentos do livro em que a narrativa principal se mescla com os livros que a personagem escreve, além do recurso do fluxo de consciência. Este é um livro denso e que trata de vários assuntos delicados (esquizofrenia, transexualidade, transtornos mentais) e, por isso, vi muitas críticas negativas por aí. Sem querer ser pretensiosa, mas não acredito que este livro seja para qualquer um. Não leia se sua mente não for bem aberta.

The Complete Works (Oscar Wilde)

É claro que não poderia faltar um livro do meu escritor favorito. Oscar Wilde, o dândi mais consagrado da Era Vitoriana, é inspiração para várias editoras que criam edições luxuosas de suas obras. Eu pessoalmente amo essa aqui, da Collector’s Library Editions, e costumo dizer que ela é a bíblia da minha vida. Além disso, as ilustrações de Aubrey Beardsley só melhoram o que já era perfeito.

Espero muito que vocês tenham gostado do post. Contem para mim quais são os livros da sua coleção que são verdadeiras obras de arte! Vou adorar saber. 😉

Cinco livros escritos por mulheres que eu não posso deixar de ler em 2016 – #LeiaMulheres

Olá, pessoal! Antes de começar o post, queria convidar vocês a conhecer o projeto Leia Mulheres, presente na nossa atmosfera literária desde 2014. Eu pessoalmente nunca estabeleci metas para mim mesma relacionadas ao tema, por isso, tentarei introduzí-lo aos poucos e sem muita neura.
Quando se discute sobre o projeto Leia Mulheres, uma das frases mais ditas, inclusive pelas próprias mulheres, é “autores bons são autores bons independentemente do gênero, e eu não preciso favorecer mulheres em cima dos homens só por serem mulheres”. Mas, ao propor a todos que leiam mais mulheres, não estamos pedindo para que parem de ler homens. Queremos dar às mulheres a oportunidade que todos os homens sempre tiveram. As pessoas tendem a esquecer que a história do feminismo é muito recente: provavelmente suas avós e até mesmo sua mãe não tinha direitos básicos que você sempre teve, e é pensando nisso que incentivamos os trabalhos feitos por mulheres.
As minhas escolhas esse ano foram bem variadas: um YA, uma graphic novel, um livro distópico, um livro africano e um livro brasileiro.
  1. A Herdeira (Kiera Cass)

 A Herdeira (Kiera Cass)Sempre gostei de ler livros de fantasia e de princesas quando era mais nova. Essa saga A Seleção me dá uma sensação boa e nostálgica disso, embora eu obviamente esteja lendo sob os olhos de uma pessoa mais velha e fora do público-alvo. Comecei a ler A Herdeira no ano passado, mas não terminei e não sei dizer o porquê, mas sei que preciso retornar ao trabalho!
  1. The Essential Dykes to Watch Out For (Alison Bechdel)

The Essential Dykes To Watch Out For (Alison Bechdel) A Alison Bechdel é uma quadrinista fantástica. Conheci o trabalho dela graças a uma professora na UnB que recomendou o livro Fun Home. Comprei, devorei e logo em seguida li a continuação, Você é minha mãe?. Fiquei interessada para ler outros livros da autora e acabei descobrindo esse aqui, Dykes To Watch Out For, que é uma compilação de tirinhas publicadas em jornal. Esse livro não chegou a vir para o Brasil, o que é uma pena, mas uma colega de curso me emprestou e até hoje eu não devolvi.
  1. The Handmaid’s Tale (Margaret Atwood)

 The Handmaid's Tale (Margaret Atwood)Esse livro foi muito recomendado por uma amiga minha, e me interessou bastante por ser um livro distópico escrito por uma mulher. O gênero distopia, nos clássicos, é praticamente dominado por homens, o que faz essa iniciativa de apoiar e empoderar as mulheres absolutamente necessária. Este livro foi publicado no Brasil com o título O Conto da Aia, mas mantive o título original no post por querer lê-lo em inglês.
  1. Hibisco Roxo (Chimamanda Ngozi Adichie)

 Hibisco Roxo (Chimamanda Ngozi Adichie)Conheci a Chimamanda Ngozi Adichie pelo livro entitulado Sejamos Todos Feministas. Simples, curto, direto e de leitura obrigatória. Ainda não conheço sua obra literária shame on me, mas acredito que irei gostar de qualquer coisa dela que eu leia.
  1. A Torre (Leca Haine)

A Torre (Leca Haine)Esse aqui é quase uma menção honrosa na minha lista. Tive a sorte de poder participar do processo de produção desse livro, como a revisão, a diagramação e até mesmo a confecção da capa e do media kit. No entanto, passarei agora pelo momento mágico de poder lê-lo impresso, nas minhas mãos, abençoado e autografado pela autora. Leca Haine é colunista do blog e contribui, às terças-feiras, com suas crônicas inéditas.

 

Contem para mim os livros que vocês querem ler em 2016.

Feliz ano novo!

Listography: a maneira viciante de se organizar

Se você nunca ouviu falar do logo acima, esse post é para você.

O Listography é um site bem simples, mas que nos permite organizar a vida e compartilhar um pouco do que pensamos por meio de listas. O site é em inglês, e por isso eu, a Anita e o Cris criamos e atualizamos nossas listas em inglês. Existem vários temas possíveis para as suas listas: viagens, tarefas, desejos, hobbies, coisas sobre você, entre outros. Existe um aplicativo iOS que custa $ 1,99 (ai, meu bolso!), mas como o site é muito amor, comprei e não me arrependi (mas o dólar não estava um absurdo na época). Ainda não existe nenhum aplicativo oficial para Android ou Windows Phone.

Além do site, o Listography também é uma linha de livros interativos com diversos temas: música, viagens, literatura, vida amorosa, filmes, amigos, e até uma versão para crianças do livro original. Você pode conferir todas os livros publicados até agora aqui.

A Editora Intrínseca lançou aqui, no Brasil, a versão em português do primeiro livro com o título de Listografia: sua vida em listas. É possível comprar, tanto a edição em português quanto as edições em inglês, na Livraria Cultura. Os livros são repletos de ilustrações bonitinhas que servem de inspiração na hora de preencher as listas.


Quem não adoraria sair com o Ursinho Pooh?
 

Esse negócio de criar listas e ler as dos seus amigos é tão viciante que acaba se tornando uma espécie de hobby ou rede social. Se você se convenceu a criar um perfil no Listography (e eu garanto que sim), mande seu perfil porque eu adoro ver o que os outros pensam! haha

Beijos!