Resenha: Amazingly Earl Grey (Lipton)

Nem só de chás gourmet viverá o homem. Às vezes, a gente quer saborear uma caneca de chá por um preço mais amigo. Ou quem sabe, deixar alguns saquinhos no trabalho, levar para a faculdade, ou qualquer outro lugar em que a praticidade seja essencial. É em momentos como esse em que eu busco um bom chá de saquinho (porque sim, gente, eles existem!). E este aqui, o Lipton, é um excelente exemplo.

Earl Grey: um clássico

O Earl Grey é um tipo de chá aromatizado com essência de bergamota (também conhecida como tangerina). A variação mais comum é preparada com chá preto, que, como vimos anteriormente aqui no blog, é uma variação fermentada da Camellia sinensis, possuindo o sabor mais encorpado e alto teor de cafeína. Na Inglaterra, o chá preto é consumido em larga escala, tanto que eles possuem um blend muito conhecido de chá preto chamado English Breakfast.

O chá preto, ao redor do mundo, também é muito consumido com leite e açúcar, tornando-se uma versão um pouco parecida do nosso café com leite. A adição de canela ao chá preto, por exemplo, dá origem ao Chai, originário da Índia. Aqui no Brasil, o Chai tem caído no gosto dos brasileiros esse ano, assim como as casas de chá. Embora a onda ainda seja tímida, os maiores shoppings em capitais do país já possuem opções interessantes para quem quer desfrutar de chás provenientes do mundo inteiro.

Earl Grey vem do inglês e significa Conde Grey, a quem foi atribuído a popularização dessa mistura. Reza a lenda que o Conde Grey teria adquirido a bebida como um presente diplomático, mas a origem desse presente permanece incerta. O que sabemos é que a receita mais famosa de Earl Grey pertence à marca inglesa Twinings, que também comercializa no Brasil e é fácil de encontrar em grandes supermercados.

Essa variação de Earl Grey da Lipton possui o sabor de bergamota bastante acentuado, creio eu que até mais acentuado que o da Twinings (caso vocês queiram resenha do Earl Grey Twinings, posso fazê-la também). Ambos os chás são bastante aromáticos e saborosos, apesar de virem no saquinho. Lembrando que o preparo do chá preto exige as mais altas temperaturas da água, cerca de 95ºC, e cinco minutos de infusão. Ele não fica amargo como o chá verde, mas notei uma enfraquecida no sabor da bergamota ao infusioná-lo por muito tempo.

Você pode adquirir o Amazingly Earl Grey em grandes supermercados, como WalMart.

Nota: ★★★★☆

Resenha: Amigo (Talchá)

Chegou a sexta-feira, o que significa: resenha de chás! O chá de hoje é um favorito pessoal meu, o Amigo da Talchá. Ele não só tem um sabor incrível, como foi idealizado por uma diva pessoal minha, a Vic Ceridono. Esse chá foi acrescentado à sua coleção, A Louca do Chá, um pouco depois. A linha original contava apenas com quatro sabores: Ninja, Sensa, Sonolento e Realce, os quais você pode conferir clicando aqui.

Infelizmente, a Talchá só possui lojas físicas em São Paulo, e foi lá onde comprei esse saquinho de 50g. No entanto, eles possuem e-commerce, então dá para pedir pela internet que eles entregam em todo Brasil. Ainda sobre a coleção, são três chá verdes e duas infusões. A Vic, assim como eu, é apaixonada por chá verde, então era bem óbvio que eles iriam marcar presença nos blends.

Chá Amigo: o chá para quem ainda não toma chá

Esse chá é o mais bonito que eu tenho, em questão de folhas secas. O aroma dele assim que se abre o saquinho também é maravilhoso. De acordo com a descrição do fabricante, é o chá verde para quem ainda não está habituado ao sabor do chá. Eu concordo muito com essa frase, pois servi esse chá a alguns conhecidos que diziam não gostar de chá verde. Todos amaram.

O blend é composto por chá verde, um pouquinho de chá branco, jasmin, pedaços de morango e aroma de baunilha. O morango é muito proeminente no sabor, o que me lembra o White Kiss. Eu diria que o Amigo é a versão verde do White Kiss. Ou o White Kiss é a versão branca do Amigo? Não sei, mas o que importa é que são ambos deliciosos e com sabores muito semelhantes.

Um ponto em que a Talchá ganha da Tea Shop é na embalagem. Ambas as lojas vendem a lata separadamente, mas isso aumenta e muito o preço. No entanto, o saquinho da Talchá tem o sistema ziploc, que veda bem e não deixa o ar passar. O saquinho da Tea Shop é bem comum, preso por um adesivo, que se desgasta e perde a cola com o tempo. De modo geral, o preço de ambas as lojas é muito semelhante: ou seja, caaaaaaro.

Você pode comprar o Amigo nas lojas físicas ou no site da Talchá, clicando aqui.

Nota: ★★★★★

 

Resenha: Orient Express (Tea Shop)

Sextou, galera! E sexta-feira pede um bom chá, então venho com mais uma resenha para vocês: o blend Orient Express da Tea Shop.

O chá de hoje me acompanha há um bom tempo – comprei o saquinho de 100g em janeiro e ainda não acabou! Dessa forma, descobri que 50g na verdade não é tão pouco quanto eu pensava. Foi uma surpresa bem positiva, considerando que chá a granel aqui no Brasil é caaaaaaro.

Lembrando que você sempre pode conferir aqui as resenhas de chá anteriores.

O que você precisa saber na hora de preparar seu chá verde

O chá verde é o meu favorito devido ao seu sabor delicado e a versatilidade em se tornar um chá gelado delicioso e refrescante. No entanto, é o chá mais complicado de preparar. Costumo dizer que as folhas de chá verde são “temperamentais” e que você deve “tratá-las com carinho”. Faz sentido, né?

A temperatura da água não pode estar fervendo. O que costumo fazer e dá certo é desligar o fogo assim que pequenas bolhas começarem a se formar no fundo da panela. Ao contrário do chá preto, que exige temperaturas de cerca de 95ºC, o chá verde entrega sua melhor performance com a temperatura de 70ºC.

Não só a temperatura do chá verde é mais baixa, como o tempo de infusão também. O tempo recomendado é de dois minutos, e acredite, faz toda a diferença. Já conversei com muitas pessoas que diziam odiar o chá verde por ser amargo, e nesse ponto, todas deixavam a infusão passar de dois minutos. Acredito que até três minutos o sabor fique tolerável, mas depois disso, o chá fica amargo e intragável. Um chá verde bem preparado jamais fica amargo, então recomendo prestar bastante atenção nessa parte.

Orient Express: sabor e aroma orientais

O Orient Express, segundo o fabricante, possui casca de laranja, pedacinhos de maçã, pétalas de rosa, canela e cravo. Isso torna esse blend intenso e marcante, especialmente pela canela na composição. Eu jurava que esse chá tinha gengibre, porque ele sempre me pareceu muito energizante, mas as especiarias contidas nele fazem um ótimo trabalho.

O chá verde, por conter cafeína, não é recomendado para ser consumido à noite. No entanto, o teor de cafeína de um chá verde é muito mais baixo que um chá preto, por exemplo. Nunca tive grandes problemas ao tomar esse chá à noite, e olha que não posso tomar nada de café por ficar muito acordada. Gosto muito desse chá pelo sabor e principalmente pelo aroma, que é algo muito marcante nessa mistura e realmente remete ao oriente.

O Orient Express pode ser adquirido em lojas físicas Tea Shop ou por esse link.

Nota: ★★★★☆

Resenha: White Kiss (Tea Shop)

Sim, ela voltou! A coluna de resenha de chás que eu fazia no meu blog antigo, há quatro anos atrás, está de volta. Caso você queira ler os posts antigos da categoria, clique aqui.

O fato é que muita coisa mudou desde então. Conheci chás novos e descobri a bênção dos chás a granel, que preservam o sabor mais puro das folhas. Os chás de saquinho são produzidos com o farelo dos chás a granel, o que os torna menos saborosos e enfraquecidos com relação às propriedades antioxidantes.

Chá ou infusão?

Eu já contei para vocês em um post a diferença de chá e infusão. O chá é o nome popular da planta Camellia sinensis, logo, só pode ser considerado chá (oficialmente) as bebidas que provém dos diferentes tipos de fermentação dessa planta. Como exemplos, temos o chá preto, chá verde, chá branco, chá vermelho e chá oolong (também conhecido como chá azul). Mas é claro que, aqui no Brasil, chamamos praticamente qualquer bebida infusionada de chá. Eu mesma acabo chamando tudo de chá, pra não beirar o pedantismo desnecessário. rs

White Kiss: sabor, propriedades e mais

O White Kiss, como diz o nome, é um chá branco, logo, pode ser consumido também à noite. O chá branco é produzido com as folhas mais jovens de Camellia sinensis, as quais praticamente não sofreram oxidação. Por esse motivo, ele é o chá mais isento de cafeína. Quanto ao White Kiss, ele é enriquecido com o sabor do morango, que casa perfeitamente com a delicadeza do chá branco.

Eu pessoalmente vinha sonhando com o dia que poderia comprar esse chá, porque o valor dele é um pouco salgado. Felizmente, ganhei o saquinho de presente da minha madrinha, e estou extremamente agradecida por isso. Esse chá tem um sabor perfeito para ser tomado à noite, para relaxar depois de um dia longo e cansativo, sem correr o risco de ficar ligado no 220 pela cafeína.

Esse é um chá que eu recomendaria a quem não é acostumado a beber chá. O sabor é doce e frutado, mesmo sem a adição de açúcar ou adoçante. Aliás, essa é uma coisa que eu mudei completamente de 2014 para cá. Não consigo mais beber nenhum tipo de chá ou café adoçado, o que é incrível para o meu paladar.

Você pode comprar o White Kiss nas lojas físicas da Tea Shop ou no site, clicando aqui.

Nota: ★★★★★