Como começou a minha busca pessoal por Jesus Cristo


Imagens de momentos devocionais retiradas do meu Instagram, segue lá! @carolinahaine

Oi, gente. Tudo bem com vocês? Comigo sim! 🙂

Eu sei que não sou (e provavelmente nunca vou ser) a melhor pessoa para dar qualquer tipo de aconselhamento espiritual. Então, gostaria de dizer, logo no início desse post, que ESTOU ESCREVENDO A PESSOAS QUE SE INTERESSEM PELO ASSUNTO. Ou seja: não venho evangelizar ninguém, não quero forçar minhas convicções pessoais em ninguém, este é um post apenas para trazer informações do cristianismo a pessoas que se interessem pelo cristianismo. Se essa não é a sua praia, tudo bem! Tem vários outros posts aqui no blog que você pode se interessar. Confere aí! 😉

Eu não existiria como cristã em um mundo em que não existisse o livro Cristianismo puro e simples, do C. S. Lewis. E acho importante falar isso para todo mundo, ou seja, divulgar e enaltecer a palavra desse livro. Trata-se de uma coletânea de programas de rádio que o C. S. Lewis, autor das Crônicas de Nárnia, fez para a BBC durante a Segunda Guerra Mundial, como uma forma de fortalecer a fé e a esperança no povo em tempos tão difíceis como aquele. E eu pessoalmente estava vivendo momentos muito duros internamente, então esse livro me abraçou e caiu como uma luva para o que eu precisava ler.

O que eu achei mais legal nesse livro é que ele passa muito longe de ideias rasas e pré-concebidas sobre cristianismo que as pessoas costumam ter. É um livro bastante profundo e detalhado em temas como fé, moral, razão e caridade. Agora, se eu fosse escolher a passagem que mais me impactou, com certeza foi esta aqui:

“Todos os dias são ‘agora’ aos olhos de Deus. Ele não se lembra de que ontem você fez isto e aquilo; simplesmente vê você fazer essas coisas, porque, embora você tenha perdido para sempre o dia de ontem, ele não perdeu. Ele não ‘antevê’ você fazendo isto e aquilo amanhã, simplesmente vê você fazendo essas coisas, pois, embora o amanhã ainda não exista para você, já existe para ele.”

Apesar de ser uma ideia que faça muito sentido, ele deixa bem claro que não é unanimidade e não é aceita por todos os cristãos. Mas, para mim, é uma ideia perfeitamente razoável e que faz muito mais sentido do que colocar Deus como “um homenzinho nos observando de longe”. Deus, de acordo com essa ideia, é um conceito, algo abstrato demais para se limitar à nossa existência condicionada ao calendário.

Então eu li Cristianismo puro e simples. E esse livro me deixou com muita vontade de conhecer melhor a cosmovisão cristã. Obviamente, para chegar ao meu objetivo, eu precisava ler um livro: A Bíblia.

Na verdade, a Bíblia não é UM livro. Ela é um conjunto de livros. E esse conjunto de livros não precisa ser lido na ordem sequencial. Essas foram coisas que eu aprendi enquanto pesquisava sobre o assunto. Também descobri que a Bíblia Católica e a Bíblia Protestante diferem no número de livros. São 66 livros adotados pelos protestantes, enquanto 7 livros a mais são adotados pelos católicos. Como eu não queria ficar de fora e queria ler TUDO que tenho direito, adquiri a minha primeira Bíblia na versão Ave Maria. E, já que minha Bíblia é católica, procurei um plano de leitura católico: este aqui. Também recomendo dar uma olhada neste aqui (seja você católico ou protestante).

Como eu não me contento em estudar somente uma visão da coisa (rs), também fui atrás de estudar por fontes protestantes. E assim, adquiri minha outra Bíblia: a versão NVI (português) + NIV (inglês). É uma Bíblia linda e que comprei pensando em levá-la para o culto, já que estou participando de um estudo bíblico em inglês. Mas confesso que estou sonhando com uma versão NVT de estudo linda, mas que custa muito caro. 🙁

Descobri que tanto os católicos quanto os protestantes recomendam começar a leitura pelo Evangelho de João, pois este vai direto ao ponto sobre quem era Jesus Cristo e quais eram os seus milagres. Aliás, falando nisso… Antes que algumas pessoas venham zombar com coisas tipo “ah como vc acredita em andar sobre as águas?”… Galera, existe uma figura de linguagem muito interessante chamada METÁFORA. Quando você se torna ciente disso, a leitura de qualquer livro torna-se mais interessante.

Bom, galera, eh isto por enquanto. Eu pretendo falar mais sobre o assunto conforme eu for aprendendo em futuros posts. Beijo, tchau!

Comments

comments

Carolina Haine

22 anos, licenciada em Letras Inglês, designer e diagramadora de livros. Não vive sem o Evernote, uma caneca de chá e, claro, seus óculos de grau.

One Comment

  1. Achei seu texto bem informativo, Carol!
    Eu tô pensando em comprar uma NVT pq minha biblia da Ave Maria é tão pequena lol
    bjs e bons estudos <3

Deixe uma resposta