Crônica: Doce vida – #LecaHaine

post no carolO hoje, o agora. Não o ontem, não o depois. Nada me serve ou me guia tanto como o agora. Só tenho isso de segundos para viver porque nada sei do daqui a pouco.
Descobri, (será tarde)? Que não adianta guardar nada. Não preciso de objetos e nem de coisas, porque são pesados para carregar. Como me atrever a levá-los se nem sei qual será o meu caminho?
Também não quero me ocupar com sentimentos inúteis, pois, mesmo sem ocupar espaço visível, me ocuparão o tempo e gastarão minhas energias. Decidi que ficarei com o básico. O básico do que for melhor, é certo, mas o básico. E esse básico pode me alegrar, assim como fez um dia quando ainda criança.
Um sorriso gostoso, um abraço apertado, uma fatia de bolo de milho no café da tarde. Definitivamente: Não é preciso muito para engrandecer minha alma.

#LecaHaine